Quase um ano do fim da tese e um novo doutorado: a maternidade!

Dos dilemas de uma doutora migrando para o mundo da maternidade.

Em dois meses faço um ano doutora. Mas vou dizer muita coisa mudou desde então. Um segredo terrível: depois que viramos doutores o trabalho aumenta!!! Seja se você vai tentar concurso, seja se já estiver trabalhando.

No primeiro caso, o trabalho é óbvio: muita pressão. Afinal, como ser um doutor desempregado. No segundo caso (o meu), também aumenta o volume de trabalho. ‘Acabou o doutorado? Tem trabalho aí moça (o)!’

No meu caso tem um adicional: o bebê. Então tudo muda mesmo! Prioridades, valores e sou obrigada a diminuir o ritmo. Me sinto em outro doutorado. Tantos nomes técnicos, tatos exames, tantas demandas. Decoração, roupinhas, móveis, médicos, exames, moda bebê e gestante, novas modalidades de exercício, alimentação, artesanato, culinária…aff! São infinitas as demandas de ser mãe.

Estou começando a achar que o doutorada era mais simples, rs.

Acho que achamos que damos conta de tudo. Estou aprendendo aos poucos que preciso delegar algumas coisas, se não é  impossível, de um hora para outra, deixar de ser uma pesquisadora e professora e me tornar uma exímia dona de casa, que cozinha, entende de moda e sabe fazer caixinhas decoradas para bebês!

Mas sou perfeccionista demais e quero saber de tudo! Calma menina, vamos diminuir o ritmo aí!